11 de nov de 2014

ASTROLOGIA ARQUETÍPICA E PSICOTERAPIA: ATIVIDADES IRMÃS

Há quem pergunte: o trabalho do astrólogo substitui o trabalho do terapeuta? Eles se excluem mutuamente? Um substitui o outro? Ou competem entre si?

Em meu entender este é um falso dilema, derivado da pouca compreensão que se tem (inclusive entre astrólogos e psicólogos) do que cada uma destas atividades profissionais oferece a alguém dentro de sua própria especialidade.




A Astrologia Arquetípica é um método quase insuperável de amplo e profundo diagnóstico do inconsciente de alguém, enquanto detecção de dinâmicas e de conteúdos, com clara indicação do que é inato, ou tipológico e temperamental, e o que é condicionado, fruto de cenas primárias.

Legal... Mas o que a pessoa faz com isto? Seria como ir a um laboratório de análises clínicas, fazer vários exames e sair com os resultados na mão: isto, por si, não resolve nada.

No caso acima, a pessoa deverá levar os exames a um médico, seja clínico geral ou especialista, para ele prescrever e desenvolver a melhor forma terapêutica possível, coisa para a qual apenas o médico tem experiência e preparo para fazer.

De nada adiantaria, inclusive, ou adiantaria bem pouco frente ao que é desejado, perguntar ao técnico do laboratório o que fazer com os resultados.

O mesmo, em se tratando de terapia. O astrólogo costuma não ter preparo específico para ajudar a pessoa a reordenar, como seja possível, suas dinâmicas afetivas e inconscientes de base, algo que só o psicólogo bem formado tem.

Porque o psicólogo, ademais se for clínico e competente, detém conhecimento comprovado em estratégias e táticas de alteração de dinâmicas psíquicas inconscientes, derivadas de diferentes teorias de Psicologia e condutoras a um maior equilíbrio mental felicitador.

Ao mesmo tempo, o psicólogo não costuma deter como recurso de diagnóstico senão a bagagem teórica e a experiência de atendimento, demandando várias sessões seguidas para obter um quadro mais abrangente do inconsciente do paciente, o que pode lhe ser propiciado por uma interpretação astrológica clínica da Carta natal da pessoa.

De fato, eles se complementam, um não sendo mais importante do que o outro: o astrólogo clínico pode fornecer um diagnóstico, de fato um mapa de percurso na rota do autoconhecimento, com detecção da origem dos desafios e a clara indicação de potenciais pessoais a liberar, enquanto o psicólogo, se for psicoterapeuta, pode orientar e apoiar a pessoa na gradual e cuidadosa dissolução de condicionamentos e bloqueios que estão por detrás de suas dificuldades e suas compulsões à repetição (“olha, eu fazendo de novo a mesma bobagem...”), ou têm impedido a realização mais plena de possibilidades.

Esta dinâmica profissional complementar é bastante bem descrita em Astrologia clínica - Um método de autoconhecimento.

Da mesma forma, a Psicologia pode auxiliar a pessoa a liberar e desenvolver seus próprios potenciais psíquicos, segundo o que foi identificado pela Astrologia arquetípica a partir de sua Carta natal.

Sendo assim, astrólogo clínico e psicólogo trabalham, em conjunto, pelo amadurecimento da felicidade da pessoa.

Um comentário:

  1. Conheço bastante psicologia e várias terapias alternativas e astrologia. O que me impressiona na astrologia é que ela é uma teoria da personalidade muito completa que descreve inúmeros comportamentos humanos, muito melhor que muitas teorias da personalidade da psicologia. Eu acredito que todo astrólogo e tarólogo deveria ter um conhecimento mais amplo da psicologia pois principalmente numa consulta presencial o astrólogo ou tarólogo terá que lidar com as emoções e insights que surgirem. Já os psicólogos ou outros terapeutas que pega aquele paciente extremamente fechado que pouco solta de sua vida pessoal podem encontra na astrologia algumas informações com que lidar.

    ResponderExcluir

Translate