7 de nov de 2013

Expandir, contrair, equilibrar: assim é a vida



Segundo o Hinduísmo, são três as potências criativas da natureza, ou Gunas: Rajas (expansão), Tamas (contração) e Sattwa (equilíbrio).



Gunas pode ser traduzido como “fios” ou “fibras”, filamentos que dão existência à realidade.

Na linda epopéia Bhagavad Gitta, tudo surge expandindo, é a seguir e de alguma forma contraído (pois se expandir sem cessar nunca estabilizará) e atinge o ponto ótimo de equilíbrio entre expandir e contrair (se contrair demais, desaparecerá).

Segundo a Física newtoniana, que rege a matéria como a conhecemos, são três as forças fundamentais no universo: a centrípeta (que faz por atrair), a centrífuga (que faz por afastar) e a gravitacional (que mantêm o delicado equilíbrio entre atração e afastamento).

Viu como é a mesma concepção?

Não menciono a Física quântica, que não rege a matéria e só se aplica ao mundo subatômico, isto é, dos componentes e subcomponentes do átomo e, não, da energia já manifestada como matéria: átomo, molécula e substância.

Por analogia, a Astrologia Arquetípica identifica três tendências fundamentais na mente humana, combinadas de modo variável em cada pessoa, e as relaciona às Qualidades dos Signos: Cardeais, Fixos e Mutáveis.

Os Signos Cardeais inclinam-se à realização do novo, os Signos Fixos inclinam-se a manter o já existente e os Signos Mutáveis inclinam-se à busca de equilíbrio entre as tensões existentes: vamos deixar como está ou vamos fazer diferente?

Como a criação necessita de Rajas, Tamas e Sattwa, a pessoa precisa aprender a, respeitando a própria tendência essencial (conforme o que indica sua Carta natal astrológica), elaborar o melhor convívio possível, em si, entre a sua tendência dominante e as outras duas.

Alguém é mais Cardeal? Precisa conseguir se preocupar com manutenção e com um melhor equilíbrio entre expansão e contração.

Alguém é mais Fixo? Precisa conseguir ousar criar o novo e atingir um bom equilíbrio entre manter o que já está e ir atrás do que possa vir a existir.

Alguém é mais Mutável? Precisa conseguir tomar posição, seja a favor da busca do novo ou da manutenção do que já existe, indo contra a tendência de relativizar tudo.

2 comentários:

  1. Luiz, tenho uma pergunta : Como isto se aplica às tendencias que temos do nosso ascendente W

    Tânia

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tânia. Desculpe-me, mas não entendi a questão. Você poderia refazê-la com mais precisão, para que eu tente responder ao que você perguntou e, não, ao que eu possa ter entendido? Grato.

    ResponderExcluir

Translate