21 de set de 2013

Pensamos contando histórias e nem sempre o que queremos

A mente humana existe porque conta histórias. Tecnicamente falando, ela estrutura narrativas todo o tempo, a respeito de tudo, queiramos ou não. Por este motivo não paramos de pensar e vivemos (figuradamente) ouvindo vozes e imaginando figuras, num conversê sem fim, como que sonhando, tanto quando dormimos quanto quando acordados. 


Ocorre que as narrativas do consciente, ou daquilo que a pessoa acredita ser, são influenciadas em maior ou menor intensidade pelas narrativas do inconsciente, aquilo que ela não sabe ser, razão pela qual as histórias contadas pela pessoa raramente são exatamente as histórias que ela mesma intencionava contar.
Num cenário assim, que é comum a todos nós, embora mais claro para alguns ou mais obscuro para outros, a interpretação da Carta natal astrológica ajuda a compreender com clareza o conjunto de narrativas inconscientes, sua origem e sua dinâmica, quer as mais constantes, quer as que ocorram com maior intensidade em certo período, ao identificar e descrever a dinâmica arquetípica que está por detrás de cada história contada.
Isto é possível ao analisar o conjunto global dos símbolos nela presentes: Signos, Planetas, Casas astrológicas e Aspectos planetários.
Não é magnífico?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate