26 de set de 2013

O “terceiro dos dois” é a combinação das duas Cartas natais

   No meio da penumbra, e dentro do som estridente, algo move a cabeça do rapaz para uma exata moça, e não outra, e nem sempre é a mais atraente ou “deu mais mole”: o “plugue” e a “tomada”, ambos inconscientes, fizeram contato e a energia passou a se movimentar naquele fluxo.
Se naquele exato momento um astrólogo arquetípico analisasse as Cartas natais astrológicas de ambos, veria claros indicativos sobre se a atração é genuína, o quanto intensa é, a que especificamente se refere e qual a taxa de provável perdurabilidade no que se sente ou se vivencia quando juntos.


Esta é uma preciosa possibilidade da Astrologia: ajudar a perceber em minúcias a qualidade (o tipo) e a intensidade dos principais aspectos dinâmicos de uma relação pessoal, seja de perfil afetivo ou não (pode ser apenas de duas pessoas que trabalham ou moram juntas).
Isto é denominado “sinastria” e é possível pela análise combinada dos símbolos de ambas as Cartas natais astrológicas, sempre levando em consideração o tipo específico de relação que se pretende entender melhor: sociedade comercial, relação amorosa-sexual, vida conjunta (dividindo uma casa), atividade profissional (sócios ou uma dupla de criação), etc.
Não, que uma sinastria garanta que a relação interpessoal vá ocorrer ou determine que nunca ocorrerá, mas certamente define em detalhes a qualidade e a intensidade do que ocorrerá, se vier a ocorrer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate